Apresentação

O 2º Seminário Internacional “Urbanismo Biopolítico: Urbanismo Neoliberal e Resistências Biopotentes”, que irá acontecer entre os dias 24 e 27 de julho de 2018, é uma ação do Grupo de Pesquisa Indisciplinar. Propõe-se criar um ambiente de debates e produção do conhecimento destacando trabalhos e temas envolvendo pesquisas extensionistas. O Seminário adotará em sua estrutura: palestras, mesas redondas e sessões temáticas (apresentação oral dos artigos selecionados). Também serão selecionados trabalhos acadêmicos que irão compor uma publicação ebook.
Nesta segunda versão do evento, a ideia é que no primeiro dia à noite tenhamos uma palestra com convidado internacional e nos 3 dias consecutivos aconteçam palestras pela manhã e apresentações orais dos trabalhos organizados em 3 eixos transversais ao conceito de Urbanismo Biopolítico: 

1. Urbanismo Neoliberal (com foco nos instrumentos utilizados pelo Estado-capital para a financeirização do espaço urbano); 
2. Resistências Biopotentes (com foco na constituição de redes que objetivem a produção do comum);
3. Tecnopolíticas Urbanas (com foco nos modos de produção do espaço que entrelacem redes e ruas, universidade e sociedade).

O Indisciplinar

O Grupo Indisciplinar originou-se em 2012 e atualmente é formado por professoras(es), pesquisadoras(es), alunas(os) de graduação e pós-graduação oriundas(os) de diversos campos do conhecimento (arquitetura, urbanismo, geografia, economia, ciências políticas, literatura, artes, meio ambiente, ciências da informação, etc). Suas ações são focadas no monitoramento da produção capitalista do espaço urbano, assim como na atuação junto a movimentos sociais (e outros diversos atores) no fortalecimento de redes que se articulam em prol da justiça social e em favor da produção do comum urbano.

Diversas pesquisas extensionistas estão associadas ao grupo, sejam elas de monografia, mestrado, doutorado e pós-doutorado ou projetos de extensão e de pesquisa vinculados tanto às Pró-reitorias de Pesquisa – PRPq  – e e à  Pró-reitoria de Extensão – PROEX – da UFMG, quanto às agências nacionais de fomento à pesquisa (Capes, CNPq, Fapemig).

As investigações do grupo também envolvem diversos outros grupos de pesquisa que atuam em rede através do INCT – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – “Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais” em 2016.

ORGANIZAÇÃO:

APOIO

PATROCÍNIO

CONTATO

urbanismobiopolitico.seminario@gmail.com